segunda-feira, 30 de julho de 2018

#Resenha: Hannah's Hope, Karen Kingsbury (Série Red Gloves #2)

Oii, gente, tudo bem?
Hoje tem resenha de uma das minhas autoras preferidas!
Confira!

Hannah's Hope é o segundo livro da série Red Gloves, e um dos mais antigos da autora americana Karen Kingsbury. Ele é bem curtinho, tipo de banca e rápido de ler.

Eu adoro os livros da Karen, e quero ler todos dela, ainda esse ano, se bem que são mais de 80, então, só milagre pra eu dar conta de todos!

Mas, como esse têm um pouco mais de 200 páginas, li em 2 dias.

A história conta sobre a jovem de 15 anos, Hannah, que vive praticamente sozinha em sua mansão. Seus pais viajam o tempo todo, já que o pai é político, e agora há poucos dias antes do natal, a mãe, Carol, avisa-a que não poderão passar o natal juntas devido a essas viagens que ela e o marido fazem.

Hannah fica muito triste e desesperada, porque queria muito ficar mais perto de sua família. Ao conversar sobre isso com o motorista de sua mansão, ele lhe diz para orar que um milagre de natal pode acontecer.

Hannah não tem muita fé, lhe pede que ore por ela e não pensa muito sobre o assunto.

Ao reclamar com a mãe ao telefone sobre seu desejo de passar mais tempo com os pais, Carol decide enviar uma carta à Hannah contando-lhe sobre um segredo do passado que poderia "deixar a menina ocupada nesses dias sem a incomodar", sim, é isso que ela pensa!

E o segredo nada mais é que, Hannah é filha de um namorado que ela teve antes de se casar com o atual marido, e que esse ex-namorado, Mike, o pai de Hannah, entrou para o exército, Carol decide deixá-lo e vai pra casa de seus pais com Hannah, já com quatro anos de idade. E aí acaba por casar-se com o homem que criou a menina.

Agora imagine que mulher mais louca e sem coração! Conta isso apenas pra menina, em forma de carta. Hannah fica louca quando descobre, mas, ela realmente se lembra de ter tido outro pai, e por isso, começa a procurar por Mike, mesmo tendo apenas seu nome e a suposta profissão que ele seguiu.

Com alguma facilidade, Hannah vai descobrindo mais sobre o pai, porém, uma tragédia que se segue abala a todos.

Como eu disse o livro é bem rápido e se eu falar mais, posso soltar algum spoiler.

O que posso dizer é que nessa empreitada atrás do pai, Hannah passa a estreitar os laços com a mãe e a descobrir mais detalhes sobre o relacionamentos dela com o pai. 
Sobre a procura do pai, olha, gera muita confusão, então, não posso contar mesmo.

É um bom livro pra passar um tempo depois de uma leitura mais complexa.
Bem leve e faltou todo aquele tema forte baseado em fé que a autora escreve tão bem.
Não gostei muito, não.
Porém, continuo firme lendo todas as obras dela que caem em minhas mãos.

* Leia também as demais resenhas da Karen Kingbury publicadas aqui no blog:
- Gideon's Gift
- Redenção #1



Essa é a quinta resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: um livro de capa laranja.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

sábado, 28 de julho de 2018

#Resenha: A Livraria dos Finais Felizes, Katarina Bivald

Oii gente, tudo beleza?
Hoje tem resenha de um livro que fazia anos que eu queria ler!
Confira!

                     
Já fazia anos que eu queria ler A Livraria dos Finais Felizes, da autora sueca Katarina Bivald. Toda essa magia de ter uma livraria e mudar a vida das pessoas com ela, me encantava. Porém, infelizmente, o livro foi bem decepcionante. :(

Achei a história muito rasa e sem sentindo em algumas partes, além de bastante arrastada.

Conta a história da jovem sueca, Sara, de 28 anos, que trabalhava em seu país numa livraria, mas como acaba perdendo o emprego, vai para os EUA conhecer Amy, uma amiga virtual que conheceu através de uma troca de livros na net, e passaram a se corresponder a partir de então.

Trocando mensagens, livros e experiências literárias, Amy e Sara tornam-se amigas íntimas, e à convite da americana, Sara resolve passar uns tempos com ela, conhecendo um novo país e compartilhando mais aventuras literárias.

O que Sara não esperava era chegar numa cidade pequena, pacata, sem graça, com muitoooooos cidadãos fofoqueiros, e o pior dos piores: Amy morreu e o seu velório está chegando ao final naquele mesmo dia.

Sara fica estupefata com a notícia que a "Grace" da lanchonete lhe dá, e quando chega na casa de Amy e vê o final do velório, nem sabe o que pensar e o que fazer.

Os vizinhos de Amy já sabiam da vinda de Sara, então, lhe incentivam a permanecer na casa de Amy e tentar se estabelecer nos EUA.

E assim, com muitas personagens pacatas, irritantes e problemáticos, Sara vai conhecendo-os e fazendo amizade, até que resolve abrir uma livraria e ajudar, através da leitura, esses moradores infelizes.

É fofa essas atitudes de Sara, o que rende mais confusões e algumas cenas engraçadas, mas não é nada de mais.

Achei bem forçados os personagens, ficaram de um cômico estranho, fantasioso, beirando ao debochado. E a Sara é bem na dela, só pensa em ler, e só quando abre a livraria é que consegue fazer novas amizades e se entreter mais. Ajudando um pouco.

A ideia é boa, mas acho que a autora não soube desenvolver bem a questão da livraria e as características/desenvolvimento dos personagens.

Uma leitura leve. 


Essa é a quarta resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: uma autora sueca.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

#Resenha: S.O.S Fui Traída, Fê Friederick Jhones

Oii, gente, tudo bem?
Hoje tem resenha de um lançamento que eu adorei!
Confira!

Faz mais de um ano que acompanho a autora brasileira Fê Friederick Jhones nas redes sociais, e estava com todos os livros dela no kindle pra ler. Até que no começo do mês passado, ela anunciou o lançamento pra 27 de julho do chick-lit, S.O.S Fui Traída. Fiquei ansiosa e curiosa pra ler! Adorei a capa e sinopse e como já queria ler os outros livros dela, corri adicioná-lo na minha wishlist.

Li, então, o Ímã de Traste, primeiro livro e também chick-lit da autora e amei! E logo depois fizemos parceria, o que me deixou ainda mais feliz e ansiosa (porque, né, gente, sofro de ansiedade crônica por lançamentos que quero muito! kkkk).

Logo que a autora enviou o e-book corri ler, e gente, amei demais!
E olha que nem sou muito chegada a chick-lits.

O meu problema com chick-lit é que, na maioria das vezes, levando em conta pelo os que li, só tinham mulheres entrando em confusões e passando muita vergonha, mas faltava conteúdo gostoso, verídico e profundo. E tanto em Ímã de Traste, quanto em S.O.S Fui Traída, foi o contrário. É um chick-lit sim, com uma protagonista mulher determinada e cheeeeia de problemas, mas também, com muito conteúdo. Importante, real e emocionante. Adorei mesmo!

S.O.S Fui Traída conta a história da psicóloga Agda, que após 13 anos de casamento, descobre numa quarta-feira comum, que seu marido mantém um caso há 2 anos com uma moça linda, peituda e sem a menor vergonha na cara! É isso mesmo! Essa pomba gira da amante foi até o escritório da Ag contar pra ela do caso que mantém com o seu marido.

Imagine a surpresa, a estupefação e o desesperado da Ag!

Eu fiquei sem ar, querendo bater em algo e quase chorando só de ler essa cena!

A história da Agda com o Maurício Mércure (sim, eu precisava citar o sobrenome dele! Nem preciso dizer o quanto eu gostei, preciso? kkkkkk) é muito bonita. Ambos se conheceram ainda jovens, e nunca mais se largaram. Mal tinham dindim pro lanche, dividiam tudo, e mesmo na pobreza, mesmo sem luxos e jantares finos, se apaixonaram cada vez mais e tiveram uma linda história de amor e começo de casamento.

Minha reação ao ler o nome do M kkkk
Foi que me doeu, ao refletir, o quanto amamos certas pessoas, e com o passar do tempo por "M" motivos, deixamos de cultivar a relação, e aí, tudo pode desmoronar. Mas, será que era amor de verdade? Será que foram anos perdidos? É o que a Agda descobrirá.

Ainda sem saber o que fazer, e muito, MUITO TRISTE e perturbada com essa descoberta, após por o marido pra correr, Agda tira férias e passa a se trancar em casa se entupindo de coxinhas com refri de uva (o que quase fez minhas lombrigas saltarem pelo nariz, já que sou viciada em coxinhas e refris kkk), afinal, o que poderia fazer? Sua vida acabou.

Eu sofrendo com a Ag!
Mas com a ajuda de sua miga escritora, Lari, ela tenta recomeçar. E ao pegar alguns papéis do correio, recebe o folheto do S.O.S Fui Traída, tipo um grupo de AA, porém, com o objetivo de ajudar mulheres que foram traídas a se recuperarem. No total sentido da palavra.

E é aí que começa de vez a nossa história!

Não se preocupem que nada do que falei até aqui foi spoiler.

E, gente, sério, queria muito poder dar spoilers pra vocês, porque tenho muita coisa pra desabafar sobre o livro. Mas, né, óbvio que eu não vou, então, comprem o livro e depois me chamem pro papo! kkkkk

Ao chegar ao S.O.S, Ag conhece vários mulheres que passaram por uma ou várias traições, e que terão alguns passos a seguir e comentar lá no grupo. Passos esses, que as ajudarão a compreender o porque da traição, como voltar a se amar, a amar outra pessoa novamente, como perdoar, como restaurar e seguir com sua vida depois de ter seu casamento destruído, etc.

Não vou dar mais detalhes do livro, vou dar só a minha opinião.

Galerê, amei demais!
Esses passos parecem simples quando eu os li, junto com a Ag, em sua primeira vez no S.O.S, contudo, a cada passo que ela cumpria, era uma janela emperrada de sua vida que voltava a se abrir. A autora soube mostrar o quanto nos perdemos nos dilemas e rotinas da vida. O quanto deixamos de nos amar, e principalmente, o pior: o quanto deixamos de valorizar e proteger, cuidar mesmo, de nosso casamento.

Nada justifica uma traição e a autora foi clara quanto a isso. No entanto, com esses passos que a Ag segue, percebemos o quanto podemos destruir, o quanto nos fechamos pro amor, pra pessoa amada, o quanto o NÃO investir diariamente pode matar o relacionamento, o convívio básico mesmo. O amor perdura? Sim. A verdade é que quando é amor de verdadeiro ele perdura talvez até depois da morte, só que sem investimento de tempo, de carinho, de sinceridade, paciência, etc... ele vai secando, se afundando em mágoas, dores e perdas.

Eu adoro falar sobre casamentos. Já pensei até em estudar pra ser terapeuta de casais. Não sei explicar o porque, mas sempre gostei de ler sobre, de falar sobre esses assuntos, embora eu seja solteira, e esse é um livro muito bom, porque ele toca na ferida, mostra a realidade nua e crua, mas também mostra, que apesar de tantos erros e mágoas, é possível recomeçar, perdoar e tentar amar de novo.

Enquanto há vida, há esperança, certo? Então, o amor também subsiste em meios as provações.

A Ag é uma personagem que cresce ao decorrer da trama, se abre pra novas amizades e conquistas, aproxima-se mais de si mesma e supera, enfim, muitas de suas inúmeras provações.

Uma das coisas que amei também foi que no começo do livro ela é bem amarga e seca, até a achei chatinha, porém com o desenrolar, ela vai se deixando fluir, e fica leve e mostra a mulher apaixonante que é. O que me tocou, ao pensar que, muitas pessoas podem perder amores de uma vida, por deixarem a vida as endurecer. É triste isso, e muito, muito real.

Outro ponto, que não posso dizer abertamente como é, mas que adorei demais a autora abordar, é sobre relacionamentos abusivos. Foi muito tocante, importante e difícil de ler, embora tenha sido incrível a autora ter entrado nesse assunto, que precisa ser propagado através da literatura cada vez mais!
A escrita da autora é rápida, fluída e direta, o que tornou a leitura mais prazerosa.

Enfim, gostei demais do livro!
Ele é leve, tem cenas engraçadas, e só ao terminar percebi como ele me marcou e como cada capítulo mostra todas as importâncias que citei aí em cima (não vou repetir, porque tá virando um livro essa resenha kk).

Obrigadãoooooo a Fê por ter me enviado o e-book, pela confiança, parceria e pela presença aqui no blog!
Adorei!

Ah, eu tinha comentado na resenha de Ímã de Traste, no começo desse mês, que eu leria outros da autora, infelizmente ainda não os li, mas lerei em breve! É que como estou fazendo regime, ando muito triste, irritada e desnutrida kkkk daí nem ler direito tô lendo! kkkkk 

Minha reação no final do livro kkkk
Leeeeeiam!


Adicione o livro na sua estando do Skoob, aqui!

Para ler a sinopse e saber mais sobre a autora, CLIQUE AQUI!

A autora também fez um vídeo respondendo perguntas sobre o livro, assista aqui!


Beijinhos,
Ana M.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

#Parceria: S.O.S Fui Traída, da autora Fê Friederick Jhones

E aí, galera, beleza?
Hoje eu vim trazer uma notícia da hora pra vocês!
O Elvis Gatão é parceiro da autora brasileira Fê Friederick Jhones!
EEEEEH!

Faz mais de um ano que acompanho a autora nas redes sociais e tenho todos os outros livros dela no meu kindle, e quando ela anunciou o lançamento de S.O.S Fui Traída, fiquei empolgadíssima para lê-lo, além de muito feliz ao fazermos a parceria!

A autora já me enviou o e-book e já o li todinho, e gente, o que eu posso dizer é vocês vão amar!
O lançamento é amanhã! 
Por isso, amanhã mesmo postarei resenha contando tudo o que eu achei desse livro mara!
Queria falar mais dele, mas vou guardar meu desabafo pro lançamento #porquesoudessas kkkk

Agora, que tal saber mais sobre o livro e a autora?

Sinopse: Esse é um livro sobre traição. Magda, ou Agda, como ela se apresenta, foi traída. Mas ao contrário do que você espera ao ler esse livro, você não encontrará um drama. Apesar de Magda se entupir de coxinhas e refrigerante sabor uva, ela também se mete em inúmeras confusões. O destino faz com que ela chegue a um grupo chamado “S.O.S fui traída” e lá tem de tudo. Desde uma modelo que ninguém acreditaria que foi traída até uma mulher acolhedora que passou por três casamentos. Junte-se à Magda, ou Agda, nessa aventura por doze passos divertidos e profundos, reencontrando a si mesma e rindo muito.
                                         • Leis os primeiros capítulos aqui! 


Fê é uma apaixonada por histórias, por isso fez Psicologia. Dona de um coração bobo, que tem a capacidade infinita de acreditar no amor, então passou a escrever, de tudo um pouco, poesias, contos e romances. Participou de antologias, escreveu colunas em revistas eletrônicas, é blogueira e autora no Wattpad. Ímã de Traste é seu primeiro Chick-Lit. Baiana, mora em Recife com seu marido e sua filha peluda, Belle.
                           Contato:   | Facebook | Fanpage | Instagram | Twitter | Wattpad

E ai, o que acharam?
A sinopse tá demais, né? Me conquistou de primeira, e com essa capa lindona, então!
Não percam e corram aqui amanhã pra ler a resenha!
Enquanto isso você pode ler AQUI a resenha do livro Ímã de Traste, também da autora, que eu li no comecinho desse mês e adorei!
E eu vou preparar a resenha de amanhã! Até!

Beijocas,
Ana M.

#Resenha: Fala Sério, Irmão! / Fala Sério, Irmã!, Thalita Rebouças (Coleção Fala Sério #7)

E aí, gente, beleza?
Hoje tem resenha de um livro que eu estava mais que ansiosa pra ler!
E é de uma das minhas autoras prefês!
Confira!

A Thalita Rebouças é uma das minhas autoras nacionais favoritas, e a sua coleção Fala Sério! é incrível! Com crônicas divertidíssimas sobre a adolescente Maria de Lourdes, a Malu.
Riu muitooooooooo com essa série espetacular!

E eu estava ansiosíssima pelo livro 2 em 1, o sétimo e último da série, Fala Sério, Irmão! / Fala Sério, Irmã!, que é divido em duas partes, uma narrada pela Malu sobre seu relacionamento com o seu irmão Mário Márcio, o Mamá, e na outra parte, sobre seu relacionamento com a Malena, a caçula.

Imaginem a minha surpresa e felicidade total ao ganhar esse livro lindoooooooooo da minha best-sister-friend Andressinha, junto com esse pote lindérrimo da mamy dela ♥ ADOOOOREEEEEI DEMAIS!! Surteeeei! E gritei muito de emoção lá na casa da Dedessah mesmo! Brigadaaaaaaaaaa miga!!! :*

Claro que chegay e já corri ler, mas devido ao cansaço, só terminei no dia seguinte, sábado passado. Não postei a resenha antes, porque esse regime que tô fazendo tá me deixando muito triste e deprê, super pra baixo, só pensando em comer, rsrsrsrs

Essa xícara linda de crochê também é outro presente lindo da Dedessah e da mamy dela 
Mas, hoje eu tô com tudo e corri vir resenhar pra vocês! rs

Fala Sério, Irmão! / Fala Sério, Irmã! é narrado pela Malu desde o nascimento de seu irmão Mamá e depois no nascimento da Malena.
Malu conta como foi saber que teria um irmãozinho, sua reação ao nascimento deles, o ciúmes, as birras, a infância a três, a dificuldade em ter que dividir os pais, e consequentemente, não ser mais o centro das atenções e muito mais.

A cada história eu ria mais. Todas engraçadíssimas, com muitas aventuras e dramas, à lá Malu(ca), e foi muito gostoso de ver, que embora com tanto ciúme, implicância e briguinhas, esses irmãos se amam muito e fariam qualquer coisa pelo outro para a família.

É uma delícia sempre ler sobre irmãos. Irmãos são presentes de Deus para gente (se bem que tenho que dar um puxão de cabelo na minha por não vir me visitar kkkkk) e é encantador, engraçado e até mesmo revoltante kkk ler sobre as traquinagens dos três.

Nem preciso dizer o quanto adorei e me diverti né?!

Leitura mais que recomendada!

E o melhor, apesar da ordem do lançamento, você poderá lê-los na ordem que quiser, pois não se trata de continuações, cada livro, tem um tema e crônicas diferentes!
Vou deixar abaixo a ordem de publicação. Pra mim, só faltar ler o sexto livro, Fala Sério, Filha!, narrado pelos pais da Malu, a Ângela Cristina e o Armando, e não vejo a hora de devorar mais essa maravilha!

Coleção Fala Sério!
- Fala Sério, Mãe!
- Fala Sério, Professor!
- Fala Sério, Amor!
- Fala Sério, Amiga! - LEIA A RESENHA AQUI!
- Fala Sério, Pai!
- Fala Sério, Filha!
- Fala Sério, Irmão! / Fala Sério, Irmã!

Indicadíssimo! Leiaaaaaaam!

Obrigadãooooooo Andressinha, amei demais o meu prisente! <33333333

Beijoquinhas,
Ana M.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

#Resenha: A Aposta, Rachel Van Dyken (Trilogia A Aposta #1)

E aí, gente, beleza?
Hoje tem resenha de um livro que eu estava louca pra ler há anos!
Confira!

A Aposta, da autora Rachel Van Dyken é um new adult que eu estava louca pra ler desde seu lançamento em 2014. Eu adorei a sinopse, as resenhas que li sobre ele e a capa.
Finalmente o li, e gostei bastante. Apesar de ser bem rapidinho de ler e clichazão! rs

A Aposta conta a história dos "amigos" de infância, Kacey, Jake e Travis, esses dois irmãos e Kacey cresceram juntos e aprontavam todas! Kacey tinha uma paixão forte e platônica por Jake, e detestava Travis, afinal, o garoto vivia incomodando-a!

Depois de anos, e de viver uma noite apenas com Jake, e se sentir completamente usada e humilhada. Kacey, tenta disfarçar e seguir em frente, mas ainda nutre essa paixão platônica, embora com mágoas, e tenta não demonstrar à ele tudo o que sente e continuar com a amizade, mesmo sabendo o galinha que ele é. 

Com um pouco mais de 20 anos, já formada, Kacey recebe uma proposta de Jake: fingir ser sua noiva, para visitarem a família e ele se mostrar "responsável". Ainda mais que a avó dele, Nadine, está muito doente e é imprescindível que ela o veja como um adulto bem-sucedido e ajuizado.

Com medo, com raiva e cheia de dúvidas, Kacey aceita. E se surpreende ao reencontrar Travis.

Travis é um fofo, e também tem uma paixão platônica por Kacey desde a infância. Ao reencontrá-la, mesmo tímido e sem saber o que fazer, ele passa a ser um amigo, um companheiro, e seu irmão, dando mancadas em cima de mancadas por ser um garanhão convicto, faz com que Kacey e Travis se aproxime mais e mais, e contra a vontade da moça, ela se apaixona por ele.

É um livro clichê bem gostosinho de ler e fluído. Os irmãos "apostam" muito e por conta disso, terão seus problemas com a Kacey e toda a família. A vovó Nadine é maravilhosa! Muio divertida e alegre, entra em cena pra arrancar gargalhadas mesmo!
A Kacey é uma fofa, apesar de não se sentir tão bem na presença dos irmãos. Conforme vai conhecendo melhor o Travis, percebe o quanto se enganou em relação a ele, e o quanto ele é um homão maravilindo!

É um new adult sem muitos dramas, bem fofo e romântico. Uma leitura mais leve.
Indico!



Essa é a terceira resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: um new adult.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

terça-feira, 24 de julho de 2018

#Resenha: Violet, Giuliana Sperandio

E aí, gente, tudo bem??
Hoje tem resenha de um livro que eu tava ansiosa pra ler!
Confira!

Violet, de Giuliana Sperandio, é um dos livros que eu estava mais ansiosa pra ler esse ano! Ontem, a autora enviou o e-book para os parceiros e eu corri ler! Terminei nessa madrugada e agora tô tentando resenhá-lo! Tentando, porque, gente, foi um livro bem emocionante e gostoso de acompanhar, que eu só parei de ler pra beber água rapidinho, deu até tonturas quando terminei, de emoção e de desidratação, mas, o que fazer? Eu PRECISAVA saber o que aconteceria! rsrs

Violet, é uma jovem de 27 anos, que foge de Brasília, após mudar sua aparência, e vai pra Holambra, no interior de SP, a cidade das flores. Lá, ela conhece Betsie e Annya, tia e sobrinha, que a ajudam a se estabelecer na cidade, conseguir um trampo e recomeçar a vida. As três são muito amigas, e Violet passa a florescer naturalmente, a cada dia. Em seu coração, que ela achava já ser terreno árido, passa a habitar uma nova semente de amor e esperança, de um futuro melhor.

Quando começa a dar aulas para crianças pequenas, Violet conhece Elena, uma menininha linda e doce, que perdeu a mãe quando ainda era bebê e que sonha muito em ter uma família. Seu pai, Jozef é um homem maravilhoso. A beleza é só um detalhe, perante o grande pai que ele é. Cuida da filha, é um bom trabalhador e tem um core gigante. Embora ainda esteja muito triste e abalado, mesmo depois de anos da perca da esposa para uma grave doença.

Aos poucos, Violet, Jozef e Elena vão se apaixonando. Os três se unem e vão se completando. Todos têm grandes feridas ainda abertas. Todos tiveram enormes perdas e quase foram destruídos. Esses três, lutam, diariamente, para se recomporem de um passado traumático. E, quando tudo parece bem e feliz, um buraco negro abre em seu caminho, sugando-os pra um destino, talvez, ainda pior. 

Não posso dizer mais nada mesmo, porque né, seria spoiler.
Mas, gente, que história!
Como eu acompanhei a autora no face enquanto ela escrevia Violet, tinha uma certa noção do segredo e passado da Vi. E acertei. O que não me preparou. Me senti uma represa, de tanto que transbordei em lágrimas ao ler as cenas de Vi, Elena e Jozef. As perdas que eles sofreram ainda são palpáveis, e o luto aqui presente, é muito triste e complicado de lermos e sentirmos.

O relacionamento da Vi e do Jozef é muito arrebatador e intenso. Dando-nos aquele sentimento de crush perfeito. A Elena é um amor também. Que menina compreensiva! Parece comigo, com certeza kkkkkkkkkkkk  

A amizade da Annya e da Vi, é linda também. Parece eu e a Andressinha kkkkkk Adorei a Annya, ela é muito eu! Doidinha que só! kkkk Foi quem, junto com sua tia Betsie, trouxe as melhores risadas durante a leitura.

O cenário é perfeito! Sério! Se eu tivesse grana, ia agora mesmo pegar um busão e partir pra Holambra! Que lugar lindo! Florido! Cheiroso! Não é igual essas ruas esburacadas daqui de Sarandi, em que eu vivo tropeçando kkkkkkkk Um dia quero ir lá visitar! :*

A narrativa é em primeira pessoa, por vários personagens, o que tornou um livro bem intenso e íntimo, nos fazendo sentir mais a emoção e problemas dos personagens. 

O segredo da Vi, e todas as razões pra ela ter fugido de sua cidade natal é muito triste, perturbador, insano e extremamente monstruoso! O que essa mulher passou, olha, é até difícil imaginar! São muito tristes as cenas dessas revelações.

Não posso dizer o que é, porém, ressalto que toda mulher deveria lê-lo. É um aviso. Livros como esse tema precisam muito serem mais escritos. Precisamos sempre lutarmos contra esses problemas, e principalmente, ter boca pra falar! 
Ai, gente, queria falar mais sobre isso, só que não posso dar revelação de enredo. kkkk

O final e todo o desenvolvimento da trama foi muito bom e emocionante! Confesso que achei o final muito rápido, e queria mais do Jozef kkkkk Entretanto, foi lindo e especial mesmo assim! (sou #teamJoLet).

Um romance muito gostoso de ler, com boa base, ótimos personagens e temas fortes e necessários!

Indico!

Obrigadão a minha miga Giuliana, pela parceria e apoio de sempre!
Quero livro da Annya, hein?!

Por enquanto, o livro só tem em edição, todavia, logo terá em e-book da amazon também, assim que sair, posto aqui.

Para comprar a edição física, CLIQUE AQUI!

Para saber mais da autora, CLIQUE AQUI!

Para ler minhas Primeira Impressões, CLIQUE AQUI!

E leia também: Quotes sobre Violet, aqui! e Curiosidades sobre Violet, aqui!

Beijinhos,
Ana M.

sábado, 21 de julho de 2018

Alguns quotes fofos de Violet, de Giuliana Sperandio!

Boa noite, gente!
Tudo bem?
Como nos posts anteriores, esse é mais um especial sobre o livro Violet, da minha miga, Giuliana Sperandio!
Um livro que me conquistou e nem sei mais medir a minha ansiedade para lê-lo, rsrsrsrs
Pegay alguns quotes da página da autora que achei lindos e queria lhes mostrar!
Olhem que fofuras!













E para saber mais sobre o livro e como adquiri-lo, é só clicar aqui!

E aí, gostaram?
Não deixem de ler e comentar!
Beijocas,
Ana M.

Curiosidades sobre o livro Violet, de Giuliana Sperandio

E aí, gente, tudo em cima?
Hoje tem mais uma postagem especial sobre esse lançamento que tô ansiosa pra ler, Violet, da autora Giuliana Sperandio.

Pegay algumas fotos sobre curiosidades na página da autora para mostrar pra vocês!
Olhem que legais!
E para saber sobre o livro e como adquiri-lo, clique aqui!
















Espero que tenham curtido!
Comentem aí, hein?!
Beijinhos,
Ana M.

Conheça Violet, de Giuliana Sperandio!

Oii, gente, tudo bem??

Hoje eu vim aqui trazer uma dica de lançamento super da hora pra vocês!

O livro Violet, da autora e blogueira, Giuliana Sperandio, é uma das obras mais aguardadas por mim desse ano!

Confira a capa, sinopse e link de compra:

Sinopse: Ela só queria fugir do seu passado e recomeçar uma nova vida. Os ventos do destino a levaram para o coração de uma cidadezinha pitoresca chamada Holambra, onde a esperança tem cheiro de flores. Ele é um viúvo que perdeu o seu grande amor, vivia apenas por sua filha e tinha perdido a fé em recomeços.
Duas histórias que se encontram, dois corações marcados por dores. Seriam eles capazes de enxergar os planos do destino para suas vidas?
O perdão é a chave, a esperança é a porta. Será que eles estariam prontos para atravessá-la juntos?
              • COMPRE AQUI! SAIBA MAIS SOBRE A AUTORA AQUI! LEIA MINHAS PRIMEIRAS IMPRESSÕES SOBRE VIOLET!

Lindão, né, gente?!
Tô ansiosa demais pra lê-lo!
Logo, logo resenharei ele aqui pra vocês!
Mas, enquanto isso, você já pode comprar seu exemplar que já saiu da pré-venda, aproveite o precinho camarada! kk E quem quiser me dar um exemplar físico, já deixo avisado que aceito! kkkkk

Beijinhos,
Ana M.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

#Resenha: A Fúria e a Aurora, Renée Ahdieh (Duologia #1)

E aí, gente, tudo bem?
Hoje tem resenha de um livro que eu estava assim, looooooouca pra ler!
Confira!

A Fúria e a Aurora, de Renée Ahdieh, é uma releitura do livro As Mil e uma noites. Eu que sempre achei essa história fantástica, achei mais legal ainda ter uma releitura e corri ler desesperada de emoção! Mas, confesso, não gostei tanto assim de A Fúria e a Aurora. Foi decepcionante, preciso dizer!

A obra conta a história da jovem de 18 anos, Sherazade, que após perder sua melhor amiga, Shiva, para o rei de Khorasan, Khalid, ela decide se candidatar a sua nova noiva e matá-lo por vingança.

O que acontece é que Khalid tem uma noiva nova por noite. Ao amanhecer, todas são assassinadas. Geralmente, vão sendo escolhidas, mas Sherazade se candidata, já causando um burburinho na população, pela sua "loucura", né. E ela permanece firme, cheia de dor e raiva que o matará e vingará não só a morte de Shiva, como também, das tantas outras jovens que morreram nas mãos desse noivo cruel.

Após a consumação do casamento, Sherazade, até sem se entender, inicia uma história para o Khalid, e quando amanhece e os empregados dele vêm buscá-la para a morte, ela lhe suplica por mais uma noite, para assim, terminá-la. E repetidas vezes, por diversas noites, começa essas histórias que nunca termina, até que o povo se revolta porque não entenderem o que está acontecendo, qual o motivo dela ainda estar viva.

Khalid, que é um fofo *-* sofre demais com essas perdas, que ele é "obrigado" a aceitar e cometer. Ele esconde um segredo, que muda e transforma tudo. Ele e Sherazade realmente se apaixonam, e querem ficar juntos. Mas, o destino é implacável e tantos segredos e surpresas acontecem deixando muitas dúvidas em seus corações.

O começo do livro é maravilhoso. A Sherazade é forte e decidida, muito engraçada, e me cativou nas primeiras páginas. O Khalid é considerado um monstro, mas sofre muito e têm uma história bem complicada. 

Porém, confesso que esse livro me decepcionou bastante. Depois da metade, fica mais lento, sem uma boa base de desenvolvimento e os segredos que vão sendo revelados também achei mal trabalhados, faltou mais detalhes e bons argumentos.

É uma história leve, que poderia ter sido mais bem arquitetada e ser mais eletrizante.
Acho que não lerei a continuação. Embora o final desse tenha deixado grandes pontas.



Essa é a segunda resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: autora que nasceu em Julho. A Renée fez niver dia 7 desse mês
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

terça-feira, 17 de julho de 2018

#Resenha: A Irmandade Perdida, Anne Fortier

Oii, gente!
Tudo bem?
Hoje tem resenha de um livro que eu tava supercuriosa pra ler!
Confira!

A Irmandade Perdida, da autora Anne Fortier, é um dos livros que eu mais estava ansiosa pra ler. Parecia ótimo e com uma história fascinante. E, realmente gostei e me envolvi muito. Tanto é, que o livro tem mais de 500 páginas, e o li em apenas quatro dias.

A história é sobre a professora de mitologia grega, da Universidade de Oxford, Diana Morgan. Diana é fascinada pelo mito das Amazonas. Conheceu-as, através de sua excêntrica avó, que dizia ter sido uma amazona na infância.

Após o sumiço repentino da avó, Diana investiga e estuda mais sobre as Amazonas, nutrindo um forte desejo de conhecer mais afundo essas histórias.

Quando, de repente, é abordada por um homem estranho na rua, lhe dando uma passagem para um ex-templo amazônico na África, Diana nem pensa duas vezes e corre pra lá. Munida do caderno que sua avó lhe deixou com inscrições diferentes, lhe deixando a quase certeza de ser o alfabeto das amazonas.

Ao chegar lá, conhece Nick, um cara, ai Deus, que gato! kkkk Um dos responsáveis por essa expedição e assim, vão descobrindo mais lendas, histórias verídicas e encaixando mitos gregos com acontecimentos de histórias do nosso mundo. E, principalmente, Diana descobre a história de Mirina, a primeira rainha Amazona.

Quando ela descobre Mirina, a autora passa a narrar alternadamente em cada capítulo a história dessas jovens. Mirina, é uma órfã que luta pela sua sobrevivência e a da sua irmã, que está cega e recebendo um espírito, por assim dizer, do oráculo. Mirina é muito forte e ajudará as Amazonas a mudarem o mundo. 

Eu gostei bastante do livro. A Diana é muito inteligente e sente muita a falta da avó. Ainda mais por não saber ao certo o que aconteceu com ela. Os pais dela, consideravam a avó louca, mas ela sabia bem que as histórias da vó, tinham algo de mais. Eram especiais.
Seu relacionamento com Nick é bem fofo e divertido. E as viagens em busca dessas verdades que eles fazem é bem interessante, pois, aprendemos mais sobre a história e mitos de diversos países, como Grécia e Turquia.

As cenas da Mirina são bem ágeis e diferentes. Eu que nunca tinha lido nada sobre Amazonas me surpreendi e achei muito interessante. A autora deixa claro na nota final que tem fundos verídicos, mas também, muita ficção. Mesmo assim foi bom.

Foi uma leitura prazerosa, todavia, não gostei do final. Achei bem rápido, faltou explicações, e a meu ver, um pouco triste e sem sentido. É como se todas as viagens e lutas que a Diana teve que fazer, tenham sido em vão. 

Gostei, mas podia ser melhor! rs



Essa é a primeira resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: um livro com mais de 500 páginas. A Irmandade Perdida tem 528 páginas.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

terça-feira, 3 de julho de 2018

#Resenha: Ímã de Traste, Fê Friederick Jhones (Duologia #1)

Boa noite, gente!
Tudo bem?
Hoje tem resenha de um livro que eu estava louca pra ler há anos!
Confira!


Já faz mais de um ano que tenho o livro Ímã de Traste no meu kindle, da autora nacional Friederick Jhones, porém, como tinha lido na época em que o comprei vários outros chick-lits, acabei postergando a leitura. Como a autora está prestes a lançar mais um chick-lit, S. O. S. Fui Traída, que também quero ler, resolvi ler essa tarde Ímã e me arrependi de não ter lido-o antes!

Ímã de traste é um livro muito bom e que gostei demais! Ri, achei uma fofura e ainda chorei bastante de emoção!

A obra fala sobre Valerie, uma mulher de 33 anos, que é muito bem-sucedida em sua carreira, porém, tem diversos traumas pelos seus relacionamentos amorosos serem sempre fracassados, deixando-a super pra baixo.

Seus amigos Alice, Mon e Rico, junto com ela formam o quarteto. São muito unidos e engraçados e estão sempre se ajudando, embora magoem a Vale ao apelidarem-na de "Ímã de Traste", mas também, né, com razão! Ela só atrai tranqueira!

Logo no começo, após ter um término beeeeem horrendo e chocante, a Vale começa a se perguntar o porque de nunca dar certo com ninguém. Analisando todos os seus relacionamentos, ela percebe que realmente precisa mudar e escolher melhor. Porque seu core está arrebentado de tanta desilusão e rompimentos. Entretanto, ela ainda sonha e deseja amar.

Junto com seus amigos, vem muitas atrapalhadas. E até novos pretendentes.

E, gente, preciso desabafar: que raiva me deu! A Vale teve muitos trastes mesmo! Um pior que o outro! Aquele Alex, gente, que homem detestável! Intragável! Que vontade enorme de bater nele! kkkkkk

E o Rico, passa a se aproximar mais e mais. Ela sabe que ele é um traste convicto, porém, a amizade cresce, e ele é o único homem que a ama, respeita e ouve suas lamúrias, sem a decepcionar!

Não dá pra eu falar mais da trama pra não dar nenhum spoiler, por isso vou direto dizendo o quanto eu adorei esse chick-lit!

Fazia tempo que não lia um tão bom assim!

Tem toda aquela boa pegada humorística natural do gênero, sem se perder em bobeiras.
Como eu disse, eu não li Ímã de Traste antes, porque fiquei um pouco saturada de chick-lits bobinhos, só com tombos das protagonistas e vazios. Sem conteúdo forte e reflexivo.

Mas Ímã de Traste têm tudo isso!

Tem muito romance, diversão, nos faz refletir sobre nossas escolhas na área amorosas e o quanto deixamos as pessoas, e principalmente, os trastes, se aproveitarem de nós. Até onde podemos ir? E o quanto precisamos estar alertas em relação ao o que aceitar de um companheiro.

A autora também soube expor direta e habilmente na trama temas fortes, profundos, e até mesmo triste, como leucemia, adoção, a importância de nos cadastrarmos e doarmos medula óssea. 
Adorei essas cenas e toda a explicação e os exemplos da importância em doarmos e ajudarmos sempre a todos que sofrem de leucemia, e demais doenças.

O Pedrinho também é um personagem maravilhoso! Lindo, fofo, um garotinho cheio de luz que me fez chorar de muita emoção!
Não vou falar muito sobre ele, é surpresa, tem que ler! kkkk

O Rico é outro amorzinho! Que homão! Melhor amigo da Vale e a bobona sofrendo com os trastes! Durante todo o livro eu gritava na minha cachola: "Ô, muié besta! Agarra logo esse homão, que outro assim não se encontra fácil, não!". KKKKKKKK
Ai, ele é demais! Suspirei com ele, viu?! kkkkk

O quarteto todo é muito legal e divertido. E a Vale é muito forte, fofa e especial. Divertida, embora burra por perder tanto tempo e não agarrar logo o Rico (NÃO ME CONFORMO!!!!!). Gostei dela, e tô ansiosa pra ler o próximo volume da duologia, Confissões de um traste.

Gostei mesmo!
Pra quem adora livros divertidos, fofos, com boas reflexões e gargalhadas, pode correr ler!

Beijinhos,
Ana M.