terça-feira, 18 de julho de 2017

#Resenha: Minha Vida com Boris, Thays Martinez

E aí, gente, beleza?
Que frio é esse?
Que horror, congelou tudo aqui! rs
Minhas mães viraram pedra :(
Mas, mesmo assim, eu não poderia deixar de resenhar um livro maravilhoso e cheio de emoções especialmente para vocês!
Confira!

Minha Vida com Boris é um relato emocionante e encantador da advogada brasileira Thays Martinez. Thays, que ficou cega na infância devido a infecções da caxumba que teve, é, sem dúvida, uma mulher extremamente forte e corajosa, que apesar de ter perdido a visão, não deixou de lutar nem sonhar, conquistando a profissão de seus sonhos, como também, lutando por uma vida mais justa e ampla para todos os deficientes visuais do Brasil.

Thays relata sua vida com Boris, um cão-guia que mudou sua vida. Sendo seu amigo, seus olhos, seu companheiro de todas as horas, além de ajuda-la a mudar o Brasil.

Quando Thays estava com 26 anos, foi para os EUA receber o Boris, pois aqui no BR ainda não tinha treinamento de cães guias. Ao retornar ao BR, Thays recebeu muitas recusas em lugares públicos, como o metrô, para continuar a ser acompanhada por um cão. Mesmo ele sendo guia, mesmo ela tendo autorizações legalizadas, ainda assim, houve diversas recusas e infortúnios. E, juntos, Thays e Boris conseguiram autorizações e até criações de leis de inclusão social.

Um livro curto e rápido de ler, com uma história de amor, luta, perseverança e veracidade impressionantes!

Me apaixonei pelo Boris, um labrador engraçadíssimo!
A Thays explica também como é importante o cão-guia ser treinado, já que, um cão normal (como os de estimação que ela teve na infância), não estão prontos ainda para auxiliar pessoas com deficiência visual, e nem para compreender os comandos de seu dono.

Me encantei também com a força de vontade e garra da Thays. Que apesar dos problemas, não se limitou, não aceitou nada menos do que sonhava e junto com Boris, seus amigos e familiares, conseguiu superar barreiras e realizar-se grandemente. Adorei ela, uma pessoa excepcional!

Livro maravilhoso! Todo mundo tem que ler! Incrível!



Essa é a segunda resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2017.
Da opção: um livro com animais na história.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

domingo, 16 de julho de 2017

#Resenha: O Guardião, Nicholas Sparks

E aí, gente, tudo bem?
Como passaram o domingão?
Por aqui, tudo ótimo.
Hoje tem resenha do tio Nick pra vocês!
Confira!


Desde que O Guardião foi lançado, fiquei louquíssima pra lê-lo! A premissa tinha tudo de encantadora! Por fim, fui deixando pro momento certo e, bem, só li no começo deste mês.

E, por incrível que pareça, eu detestei o livro! É! A premissa é demais, mas o desenvolvimento da trama, a meu ver, deixou muito a desejar.

A escrita deu uma caída, apesar de muito fluída, e os personagens são super sem sal, chatinhos, sem muita emoção e aquela paixão gostosa que sempre banha os livros de Nicholas Sparks

Enfim, não gostei, não. rs

Vamos pra história!

Julie teve uma infância difícil ao lado da mãe. Sendo abandonada de diversas e tristes maneiras. Até conhecer Jim, um homem maravilhoso que a tira daquela vida miserável, lhe dando todo o seu amor e companheirismo. 

Tragicamente, Jim morre, deixando Julie numa tristeza aguda, mas, ele não a deixaria só, nem depois de morto. Deixou-lhe um cachorro lindo e muito esperto, Singer, com o propósito de cuidar dela.

Anos depois, Julie e Singer formam uma dupla divertida e unida. Singer é um cachorro enorme e uma graça! Acompanhando-a sempre. Julie, já recuperada da morte do marido, começa a ter alguns encontros, e o últimos deles, a deixou balançada. Com o charmoso e sedutor, Richard.

Mike, melhor amigo de Jim, e também de Julie, é muito apaixonado por ela. Embora, no momento, Julie apenas o veja como um bom amigo, e pensar nele como algo a mais, lhe deixa aflita, como se estivesse traindo o marido.

Depois de os encontros e o affair de Julie e Richard minguar, e este, começar a ter atitudes estranhíssimas, Julie e Mike de repente, bem do nada kkk, passarão mais tempo juntos e finalmente, darão uma chance para o amor. Afinal, Julie percebe que também está amando-o mais que um amigo.

Richard esconde um passado podre, sujo, perverso. E vai jogar essa perversidade sem pensar duas vezes em Julie e Mike. Ele é terrível! Que demônio! Como senti raiva desse homem!

A partir da metade do livro, o negócio vai esquentar, e o Richard vai aprontar muito mesmo! Me deixou muitíssimo angustiada, deu até dor no peito, conforme eu ia descobrindo todas as sujeiras e crimes de seu passado, nossa, foi horrível!

O relacionamento de Mike e Julie vai crescendo, mesmo com todos esses problemas, porém, eu não comprei esse casal. Gostei da trama de melhores amigos apaixonados, só que os achei muito forçados.

O final é de tirar o fôlego! Ao mesmo tempo que eu queria ler, também não queria de medo do que ia acontecer.

Bem, não aprovei de todo! Foi ok...



Essa é a primeira resenha de Julho do Desafio Literário Livreando 2017.
Da opção: um livro com praia na capa.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

#Resenha: Perdido em Marte, Andy Weir

E aí, gente, curtindo muito esta quinta com cara de sexta??
Por aqui, tudo ótimo, graças a Deus!
E agora tem mais uma resenha, ai, de um livro sensacional! Um dos meus prefes desse ano! 
Confira!


Logo que saiu a lista dos filmes/atores concorrentes ao Oscar e Matt Damon (lindoooooooooooooooo!) foi indicado como melhor ator por Perdido em Marte, fiquei curiosíssima para ler o livro, e também, assistir o filme. Que vergonha das vergonhas, ainda não assisti!

Corri comprar o e-book (ainda com a capa original. Mas saiu uma nova do filme), e por fim, tio Leozinho (outro lindo!) levou a estatueta, e eu fui adiando minha leitura.

Mas, como adoro o Matt, e queria muito assistir ao filme, corri semana passada a ler o livro pra assistir logo, e gente, que livro incrível é esse?! Eu não sabia o que esperar, porque né, "perdido em Marte", é desesperador demais pensar numa situação dessa. E o livro, ai, nossa!

Mark Watney é um botânico, engenheiro (não lembro do que agora kkk) e também é astronauta (eu também queria ser quando pequena, só PARA conhecer Marte, credo, perdi a vontade total depois de ler essa obra! kkk).

Logo que Mark e seu grupo chegam a Marte, sofrem um negócio tipo uma tempestade de areia, e Mark some, e se os seus companheiros não entrarem na nave e partirem de lá, vão morrer também. Portanto, achando que Mark realmente estava morto, seus amigos astronautas vão embora, deixando em Marte.

A viagem de ida até Marte leva cerca de 7 meses, por aí (no livro é contado em dias, as vezes em sóis, o que me deixou bugada nas contas kkk). Que exasperação me causou imaginar esses astronautas viajando por tantos meses e quando chegam lá, tem de voltar embora correndo. Quer dizer, voando! rsrs

Mark acorda um tanto machucado e atordoado, e parte se ajeitar, e tipo, ele é MUITO engraçado! E super, hiper, mega otimista!

Ele não se desespera. E talvez seja aí que o autor pecou. Porque mesmo perdido num planeta árido e inabitado, praticamente fadada a morte certa, o Mark NÃO perde jamais o rebolado.

Assim que se vê sozinho, ele já vai racionar comida, e fazer os ajustes necessários para voltar a Terra, pois em cerca de 4 anos, outra missão da Nasa ocorrerá, e ele vai tentar pegar carona com os demais astronautas.

Gente, peço desculpas, vou falar do jeito que eu conseguir, kkk o Mark vai trabalhar muito, seeeempre que algum aparelho da certo e vai ajuda-lo, acontece alguma coisa e quebra de novo, ou outra coisa para de funcionar! O livro tem MUITAS descrições sobre esses "instrumentos", veículos espaciais e etc., eu até compreendi, só não me recordo dos nomes.

Passado algumas semanas, o pessoal da Nasa descobre que o Mark continua vivo e consegue através de uma câmara e computador entrar em contato com ele, bolando diversos planos para ajuda-lo a sobreviver.

E é, mais ou menos isso.

Não vou falar mais para não soltar algum spoiler, mas preciso ressaltar gente, esse livro é muito, MUITO BOM MESMO!

Já se tornou um de meus prefes da vida! <3

Os personagens são bem caracterizados, os pontos de vistas narrados em 3ª pessoa sobre o pessoal lá da Nasa que está dando um jeito de trazer o Mark de volta pra Terra + as narrações em 1ª pessoa pelo Mark estão super bem escritas e convincentes.

As descrições de Marte e de como o Mark faz pra se virar lá é demais! E ele plantando batatas! Foi hilário!

É um livro, a meu ver, que não traz apenas informações interessantes sobre astronautas, Marte, e afins. Mas também, sobre a amizade e sua importância. Sobre como a vida de um único ser humano pode mudar a história, pode transformar culturas e movimentar uma massa de gente que nem se conhece, que nem tinham interesses em comum, tudo, para salvar uma vida. A importa e o valor da vida de Mark dada no livro todo foi importantíssimo e muito, muito lindo e admirável.

O otimismo de Mark é exemplar. Daí você pode me dizer: "Ah, mas é ficção". Sim, é. Contudo, a mensagem é muito clara. A força pela sobrevivência e luta persistente de Mark nos incita a fazer o mesmo. Sempre. Por menor, ou até maior que nossas lutas sejam.

Um livro incrível! Muito bom mesmo! Gostoso de ler, extremamente divertido e que passa uma mensagem essencial e espirituosa! 
Vale muito a pena de ler!

E agora NECESSITO assistir o filme!
É, pois é, li semana passada e até agora nada de assistir, mas irei, até o final do mês que vem, e corro aqui contar pra vocês o que achei, combinado??

Leiaaaaaam!



Essa é a quinta resenha de Junho do Desafio Literário Livreando 2017.
Da opção: um livro com capa laranja.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

#Resenha: Prometida, Carina Rissi (Série Perdida #4)

E aí, gente, tudo bem??
Hoje tem resenha da minha autora brasuca prefe, Carina Rissi, a diva do chick-lit!
Confira!


Em Prometida, o quarto volume da série Perdida, de Carina Rissi, adentramos mais afundo no coração de Elisa e Lucas.

Elisa, cunhada da doidinha da Sofia (adoooorooo ela!), e irmã (do incrível, maravilhoso, lindo, nasceu pra ser meu) Ian Clarke, está totalmente triste, entediada e muito perturbada com Lucas, seu grande amor.

Lucas, agora já médico formado, está chegando da Itália onde muito estudou, para, finalmente, casar-se com Elisa.

Já são 3 anos enrolando a menina, sabendo que a sociedade do séc. XIX não perdoa encalhadas e muito menos, as noivas esquecidas, afinal, se ainda não se casaram, pra mentalidade extremamente preconceituosa e machista daquele tempo, algum defeitão a noiva tinha.

Lucas e Elisa são apaixonados. Os dois são doces e maravilhosos. Aquele tipo de pessoa que você quer como amigo.

Leais, sinceros, respeitosos, amorosos. Nos primeiros livros da série, eles eram um casal impecável e inegavelmente, feitos um pro outro.

Mas, é justamente a bondade e honestidade de Elisa, que põe tudo a perder. Pelo menos, uma parte da união e felicidade que eles tinham.

No final do terceiro livro da série, Destinado, aquele acontecimento bombástico que a gente adorou, pôs muitas dúvidas no coração de Lucas, deixando a Elisa sem alternativas, a não ser, mentir. Mentir para proteger sua cunhada tão amada, sua irmã!

A mentira que ela conta, por mais que seja para o bem de todos, destroça tanto ela quanto o Lucas. Abrindo caminho para a separação desse casal tão fofo, e ainda trazendo tantas tristezas e mais e mais desencontros e mal entendidos.

No primeiro terço da trama, Elisa se casa com Lucas, contrariada, temendo muito pelo seu futuro. Amando-o ainda mais. Entretanto, Lucas volta do estrangeiro um verdadeiro selvagem!
Destrata a Elisa o tempo todo. Comparando-a com prostitutas, enfim, brigando por tudo e sendo bem grosseiro.
O doce encantador cavalheiro que ele era, sumiu. Evaporou. E eu DETESTEI essa mudança! Demorei pra ler o livro de tanta raiva que o Lucas me deu!

E claro que, como todo chick-lit, o livro traz muitas reviravoltas, surpresas, e até mesmo, algumas cenas divertidas.

A Elisa, mesmo triste com o comportamento frio de Lucas, é muito engraçada, e tem tiradas e falas maravilhosas! Ri muito com ela! Uma mistura de bom humor inteligente vibrante!

O Lucas teve seus motivos para se tornar amargo, mas ele exagerou, a meu ver, na falta de respeito.  

Sinceramente, se fosse meu marido e falasse as coisas que ele falou pra Elisa, olha, eu metia-lhe um chute nas "joias reais" e nunca mais olhava na cara do miserável!

A obra traz assunto interessantíssimos - como todos da Ca! -, como adoção e violência infantil; algumas coisas importantes sobre medicina (não lembro bem os nomes pra citar agora kkkk); e até sobre empoderamento feminino, ouso dizer!

A Elisa foi escorraçada pela sociedade em algumas cenas, e soube ser ousada e ter muita atitude. Atitude essa, que naquele tempo JAMAIS se via numa mulher!
A - DO - REI!!!
Melhores cenas! kkkk

O final foi bonito e trouxe cenas mais esclarecedores e legais, porém, achei que poderia ter sido melhor.
E o Lucas caiu um pouco no meu conceito! Vou perdoa-lo, em consideração a Elisa! rs

Como sempre, a criatividade e escrita da Carina Rissi estão impecáveis!
Deixando aquele gostinho de quero mais!

Li todos da Ca lançados até agora!
Só falta Quando a noite cai, gente do céu, quem se habilita a me presentear com ele, hein?? Eu tô passando mal de ansiedade para lê-lo, pelamor, me ajudem! rsrsrsrsrs

Um livro muito bom, que eu gostei bastante, apesar do... Lucas! kkkk

Série Perdida 
Livro Prometida - Uma Longa Jornada Para Casa #4
Escrito por Carina Rissi
Lançado pela editora Verus       
Demais volumes:




Essa é a quarta resenha de Junho do Desafio Literário Livreando 2017.
Da opção: um chick-lit.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijos,
Ana M.

#Resenha: Uma Viagem Espiritual, Nicholas Sparks e Billy Mills

Oii gente, tudo bem?
Hoje vai ter três resenhas pra matar a saudade!!
AEEEEH!
Confira a primeira!


Para o desafio #Desencalhando tudo! com Nicholas Sparks desse mês, eu resolvi ler o e-book que tenho há anos, foi um dos primeiros do tio Nick que adquiri. Uma Viagem Espiritual, edição portuguesa, pois ainda não foi lançado aqui no Brasil.

É um dos primeiros livros do tio Nick, e escrito em co-autoria com o Billy Mills.

O livro é curto e da pra ler em menos de 2 horas.

É fofo, mas achei um pouco chatinho e desinteressante, nada de muito espetacular kkkkkk

David foi vencido duas vezes pela morte: quando ela levou sua mãe, e agora, a sua irmã.

Desesperado, perdido, sem saber o que fazer, muito deprimido. Pede ajuda ao seu pai, que lhe da um rolo de pele pintado à mão com desenhos/símbolos indígenas.

David sai à procura das respostas para esses símbolos, pois seu pai lhe disse, que só assim, ele encontraria paz e felicidade necessárias para continuar a viver e superar o luto e a depressão que instalou-se em seu ser.

Com a ajuda de um amigo inesperado, David aos poucos vai redescobrindo os sentidos da vida. Como superar, como dar a volta por cima e recomeçar. Os medos e traumas sentimentais e o que podem lhe causar se não forem sarados.

A história se passa numa tribo indígena e é bem interessante todo o ambiente e linguagem citados.

É uma obra simples e rápida, não achei aquela coisa toda, mas é legalzinho.

É que os significados e lições que David segue aprendendo não passaram, a meu ver, "aquela" mensagem, arrebatadora, entende?
Daí não gostei. kkkkkkk

Acho que ele deve sim ser lançado aqui no Brasil em formato físico, pois têm muitos fãs do tio Nick, que assim como eu, querem ler e tê-lo em sua coleção.

* Leia as resenhas dos livros de Nicholas Sparks já postadas aqui no blog:

Beijo grande,
e aguarde a próxima resenha aí!! rs
Ana M.