segunda-feira, 16 de abril de 2018

#Resenha: O Papai é Pop 2, Marcos Piangers

E aí, gente, tudo em cima?
Aqui tudo certo!
Hoje tem resenha de um livro beeeeem fofinho!
Confira!

Desde o lançamento de O Papai é Pop 1 fiquei curiosa pra ler. Daí, há uns 2 anos atrás, li o A Mamãe é Rock, da Ana Cardoso, esposa do Marcos e gostei. Mas não tanto, achei bem levinho. Por isso acabei postergando a leitura e só agora essa semana que resolvi ler o do Marcos Piangers de vez! Escolhi começar pelo 2, pois como são livros de crônicas, não têm problema e achei a capa do 2 mais bonita! kkkkkk

O Papai é Pop 2 são crônicas escritas pelo jornalista Marcos Piangers, e conta aberta e comoventemente sua relação com as duas filhas, Anita e Aurora, menininhas fofas, ai meu Deus!

É um livro divertido, fofo e que comove, emociona mesmo!
Pois o Piangers é muito direto e sincero. Ele conta sobre desde que as meninas eram pequenas até entrarem na escola, seus primeiros passinhos, primeiras palavras, e todo o desenvolvimento que vem acontecendo. Mantendo o bom humor e se divertindo com as meninas, ele também toca em assuntos complicados sobre como é difícil criar filhos, educar, ser carinhoso mesmo cansado, lidar com todas as contas, dúvidas e chororô até altas horas da noite. kkkkk

A cada crônica ele fala sobre algumas atitudes das filhas ou algum ocorrido e também passa a questionar dramas diários. A violência do mundo, a internet e a tecnologia toda roubando a infância nos dias de hoje, etc.

É um livro que todo pai/mãe/vó, todo aquele que ama e cuida de uma criança deveria ler. Ele nos faz refletir sobre a delícia de sermos pais e também o desespero e a responsabilidade eterna que com ela vem.

Me fez refletir muito sobre como bons responsáveis educadores são importantes e inigualáveis na vida das crianças. O quanto responsáveis que se importam em amar e educar valem a pena e talvez, a falta dos mesmo, seja a fonte desse mundo tão violento atualmente. Não que eu esteja jogando a culpa nos pais pelos filhos "mal caráter" que possam ter, mas, analisando a experiência do Marcos Piangers com suas filhas + a minha própria experiência de criação com minha família, percebi o quanto o amor familiar é tudo de mais importante que temos e um dos maiores formadores de caráter.

Um livro fofo e leve. Sem acusações ou cobranças. Com muitos exemplos de como o amor fraternal é complicado, é cansativo, mas vale muitooooo a pena!

Leiaaaam!




Essa é a terceira resenha de Abril do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: um livro de capa roxa.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijocas,
Ana M.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

#Resenha: Enquanto Você Espera, Nelson Junior e Mario Freitas

Oii gente, tudo bem?
Bora pra mais uma resenha de um livro esperadíssimo por mim?! kk
Confira!

Já faz muitos anos que acompanho o movimento Eu Escolhi Esperar, fundado pelo pr. Nelson e sua esposa Ângela, e é claro que eu estava louca para ler todos os seus livros. Que olha, são muitos!
Comprei Enquanto Você Espera no comecinho de 2017, mas acabei postergando a leitura, e por fim, só o li nessa tarde.

E, gente, que arrependimento! Afinal, o li numa sentada só e ameeeeei demais!

Enquanto Você Espera é escrito pelo pr. Nelson Junior em coautoria com o também pr. Mario Freitas. É um livro curtinho, que você pode ler duma vez. Mas não se engane pelo tamanho! Ele é recheado de bons ensinamentos, exemplos e muita sabedoria.

Como vocês sabem (ou não kkk), o movimento Eu Escolhi Esperar é cristão, e fala abertamente sobre esperar a pessoa amada em Deus. Guardar seu corpo, mente e coração para a pessoa especial que Deus têm para você.

E nesse livro, aprendemos como vencer a ansiedade, o medo e angústia de não encontrar alguém para amar, o que fazer enquanto esperamos de uma forma única, genuína e rica em várias formas. Ou seja, os autores nos dão dicas de como descobrir e usar nossos dons - sejam espirituais, ou não -, para termos uma vida melhor, mais feliz, realizada e saudável, e de quebra, ainda nos prepararmos mais, para quando encontrar o nosso tão esperado amor, estejamos prontos e firmes para formar uma família.

Amei as dicas e exemplos que os autores deram.
Tanto sobre trabalhos cotidianos, normais, por assim dizer. Quanto em trabalhos envolvendo nossos dons e sonhos espirituais. Para quem tem vontade de ajudar na igreja e na evangelização, os autores deram um show de sabedoria, e mostrou o quanto podemos trabalhar e ganhar nosso sustento e ainda ajudar o reino. Que, mesmo trabalhando num trabalho comum, nós podemos evangelizar e dar um bom exemplo de amor e perdão sempre!

Além do que, aprenderemos e cresceremos mais, tornando a "espera" não tão longa, e até mesmo, prazerosa.

A obra tem todo esse impacto de enquanto você espera, você cresce, aprende, faz algo de produtivo que mudará sua vida.

Eu achei um livro maravilhoso!
E sinceramente, eu amo ser solteira kkkkk muita gente já me questionou o porque de estar solteira, e sabe, eu acho que tudo na vida tem que ser feito com amor e sabedoria. E os sonhos e estudos que eu faço hoje, eu teria que abandonar grande parte para "formar minha família" neste momento. Por isso adorei mais o livro, pois ele mostra o quanto é necessário nos prepararmos e compreendermos que tudo tem uma hora certa e que ser solteiro também é uma bênção e que precisamos aproveitar ao máximo esse tempo tão bom e de tão grande aprendizagem!

Leiam!!!




Essa é a segunda resenha de Abril do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: deveria ter lido em 2017.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

#Resenha: Menina dos sonhos, Fabiana Bertotti

E aí, galera, tudo na paz?
Hoje tem resenha de um livro que eu estava ansiosíssima pra ler!
Confira!

Menina dos sonhos é o quinto livro que leio da escritora, youtuber e jornalista brasileira Fabiana Bertotti, e confesso que foi uma grande decepção!

Como eu tinha lido outros quatro dela e amado muito, estava ansiosíssima por esse!

Bem, o livro, escrito especialmente para as adolescentes (embora possa, é claro, ser lido por todos), é bem curtinho, tem só 109 páginas e é muito rápido e beeeem raso, tanto é que li 2x no mesmo dia. Não há profundidade nos assuntos tratados, nem muitos exemplos. E também não tem aquele toque especial sobre fé que a autora sempre coloca em suas obras.

A Fabi discorre sobre diversos assuntos, como, quais são nossas vocações e porque estamos deixando de seguir nossos sonhos; idade para namorar; alimentação saudável; influências que seguimos e frustrações, por aí.

Mas tudo assim, discutido em poucas páginas, e como eu disse, sem grandes esclarecimentos, ajudas e profundidade.

É duro pra mim escrever essa resenha, porque eu amo demais a Fabi, seus vídeos e seus livros, mas esse livro, realmente, não deu!
Foi muito bobinho e sem assunto, nada demais.
Acho que poderia sim, ter sido muito melhor. E ter sido mais animado e sábio como os livros da Fabi costumam ser.

Outra coisa que me incomodou também é alguns exemplos de histórias horríveis, tristíssimas que a Fabi menciona, e como ela disse, eu concordo com ela, são mulheres que sofreram muito e mesmo assim, fizeram a diferença no mundo, só que o argumento que a Fabi usa, de que, se você não passou por um inferno na terra como essas mulheres citadas, não têm motivos fortes pra reclamar e não lutar pelo o que quer. O que eu superdiscordo! Porque, gente, cada um é cada um! As vezes algo simples machuca muito uma pessoa e é o mesmo que nada pra outra. E isso é perfeitamente normal. Ninguém é melhor que ninguém só porque sofreu demais. Assim, como uma pessoa que não teve uma história trágica quando criança, é pior e fraco que o outro. Desculpa, porém, achei isso bem chato de ser falado. Ninguém sabe pelo o que o outro passa/passou pra julgar suas atitudes ou a "falta" delas. Cada um sabe dos espinhos que têm de aguentar.

Enfim, vou querer ler os outros livros da Fabi, todavia, este não rolou. Vou trocar no sebo. kkk

* Leia também as demais resenhas de Fabiana Bertotti já publicadas aqui no blog



Essa é a primeira resenha de Abril do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: nacional.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

quinta-feira, 29 de março de 2018

#Resenha: Crônicas Reunidas, Renata R. Corrêa

Olá, gente!
Tudo bem?
Hoje tem resenha de um livro de crônicas que amei ler!
Confira!

Conheci no facebook a autora Renata R. Corrêa, e ao disponibilizar seu e-book gratuitamente, corri baixá-lo.
Ainda mais que adoro crônicas.

E, gente, muito fofo e gostoso de ler.

Crônicas Reunidas é um livro muito real, fluído e com uma bela mensagem de amor.

Cada crônica fala sobre o amor e sua beleza na vida humana. O quanto ele é natural e nasce na singeleza da vida, nas pequenas coisas e ocasiões.

Os exemplos e reflexões da autora são muito inteligentes e diretos, além de fazerem todo o sentindo.

Gostei de cada uma, me identifiquei demais não só com a experiência e opinião da autora, como também, com sua maneira de narrar, e transpor através das palavras, seus sentimentos, e etc.

Pra quem gosta de crônicas e livros românticos, tá aqui uma boa opção.

Não sei se a autora ainda está disponibilizando o e-book gratuitamente, mas o link da página dela é esse aqui!

Não dá pra eu entrar mais em detalhes, pois, por serem crônicas variam muito os assuntos e também eu poderia dar algum spoiler, mas são textos maravilhosos. E todos falam da importância do amor em nossas vidas.

Leiam!

E quem quiser comprar o e-book pela amazon, é só clicar aqui!



Essa é a quinta resenha de Março do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: autora que nasceu em Março, a Renata fez niver dia 4 desse mês! \o/
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

domingo, 25 de março de 2018

#Resenha: Faça amor, não faça jogo, Ique Carvalho

E aí, galera, beleza?
Hoje tem resenha de um lindo livro de crônicas pra vocês!
Confira!

Logo que o livro Faça amor, não faça jogo, do autor e blogueiro brasileiro Ique Carvalho, foi lançado eu estava louca pra ler.

Não conhecia o Ique, nem seu blog, mas as resenhas que saíram do livro eram tão lindas e especiais, que fiquei bem curiosa, ainda mais que adoro crônicas! (Quando eu era adolescente, queria ser cronista kkkkkkkkk).

Pois bem, finalmente o li, e gente, que livro mais lindo e especial!

Maravilhoso!

Adorei, já se tornou um dos queridinhos da vida.

Com crônicas atuais, românticas, verdadeiras, sensíveis, poéticas, incríveis, Ique Carvalho fala sobre a vida, sobre o amor, a família, amizade, etc.

Suas crônicas nos tocam profundamente. Me fazendo refletir sobre a vida, nossas escolhas e a nossa vontade em dar e receber amor.

Amei o quanto ele foi honesto sobre o que pensa de namoros e das experiências que já teve. Seu jeito de falar sobre o amor em prática, o companheirismo que é imprescindível numa relação foi não só bonito e encantador, como também, me mostrou como realmente não podemos aceitar qualquer coisa. Qualquer desaforo. Qualquer abuso. O amor existe, é pleno, é rico, é transformador e todos merecem vivê-lo.

As crônicas sobre o pai do Ique foram lindas também. Um senhor lindo e fofo, que soube amar e principalmente, criar um filho pleno e pronto pra vida. 

Infelizmente ele sofria de uma doença muito grava, porém, foi realmente um exemplo, as histórias e ajudas que Ique recebeu do pai, que tanto sofria, o fizeram crescer ainda mais, não só ele, como eu também.

O Ique, o pai e toda a sua família foram mágicos pra mim.
Adoro livros que nos fazem amar mais e querer mais ser amor, ser luz, trazer paz às pessoas, e esse livro é assim.

Com crônicas poéticas, recheadas de vida e exemplos de superação.

Não dá pra eu citar abertamente cada crônicas, mas o tema amor, nos relacionamentos, tanto amorosos, quanto familiares são os temas centrais de cada uma, e me fez apaixonar completamente por esse livro. E claro, já quero todos os outros do Ique!

Leeeeeiam!
É incrível!




Essa é quarta resenha de Março do Desafio Literário Livreando 2018.
Da opção: um livro de capa vermelha.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.