quinta-feira, 30 de julho de 2020

Resenha: Uma dobra no tempo, Madeleine L'engle (Série #1)

Boa noite, gente!
Bora para a última resenha da noite!
Confira!

Uma dobra no tempo da americana Madeleine L'engle é uma livro de sci-fi juvenil que eu queria ler há um bom tempo, e gostei demais da leitura. Foi bom, pois não lia do gênero faz tempo.

Um livro de sci-fi que mistura até alguns temas cristãos. Nada muito profundo, mas achei superinteressante, e muito fluído, li em dois dias.

Conta a história dos jovens irmãos Meg e Charles e o amigo Calvin que encontram um ser estranho na cozinha de casa, e assim, começam uma grande aventura junto de outros dois desses seres no Espaço!

Como o pai dos irmãos sumiu de repente há algum tempo, Meg nunca perde as esperanças de reencontrá-lo, e é nessa aventura e busca espacial que eles saem à procura do pai, juntos passando por muitos desafios eletrizantes!

Tem viagens no tempo - que adoro! - e até sobre física fala, apesar de que não entendo nada de física, gente, esse mês só li livros de coisas que não entendo, primeiro, foi filosofia com O mundo de Sofia e agora física com esse! kkkkkkkkk

Meg, Charles e Calvin são legaizinhos, eu gostei demais da narrativa e dos acontecimentos, mas não achei nenhum personagem cativante, nada de mais.

A trama nos faz refletir bastante também sobre a importância da família e amigos. Gostei muito, porque eu não esperava, achei que seria só aventuras, mas têm passagens muito delicadas e impactantes que nos fazem repensar em muitas coisas.

Não dá para eu dizer mais para não soltar nenhum spoiler, mas recomendo muito!

E olha que legal, já tem uma adaptação cinematográfica! Não vejo a hora de assistir! Assim que o fizer, corro aqui contar pra vocês o que achei.

E vou querer ler os demais livros da série, com certeza!

Indicado!

Essa é a quinta resenha de julho do Desafio Literário Livreando 2020.
Da opção: de sci-fi.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijocas,
Ana M.

Resenha: Noites brancas, Fiódor Dostoiévski

Boa noite, gente!
Bora para a resenha de um livro que eu queria ler há anos!
Confira!
Noites brancas do autor russo Fiódor Dostoiévski é um livro que eu queria ler há muitos anos. Aliás, quero ler vários dele.

Mas, confesso que foi uma leitura bem decepcionante.

A narrativa é muitoooo poética, e só por ela já refletimos tanto. Porém, a história em si, não me ganhou muito não.

O livro conta a história de dois jovens que se apaixonam à primeira vista numa caminhada pelas ruas de São Petersburgo, o rapaz, sem nome, extremamente solitário e romântico, cai de amores, pela doce e enigmática Nástienka, que vive presa na casa de sua avó, por ter cometido um erro que só ao final da leitura descobriremos.

Eu pensei em diversas coisas que poderiam acontecer com eles. E vários segredos que eles poderiam guardar, principalmente Nástienka.

Por fim, fui surpreendida e o final foi melhor do que eu imaginei, embora não tão feliz quanto eu queria.

Esse livro todo foi uma surpresa, pois eu achei que a escrita seria mais rebuscada, e não, foi superfluído, apesar de muito poético, com isso, fui lendo aos poucos, saboreando.

O rapaz é um personagem maravilhoso. Muito dócil, mas tão sozinho e preso em sua dor que me deu angústia de vê-lo daquele jeito.

Enfim, não posso dizer mais para não soltar spoiler. É um livro curto, que não tem grandes reviravoltas, nem muitos desdobramentos. É mais sobre a vida e seus dilemas. Muitas reflexões sobre dor, abandono, amor, coração partido e solidão!

Eu queria mais detalhes, não achei aquela coisa toda, por isso não curti tanto. Mas indico para quem gosta de narrativas poéticas e boas doses de reflexão!

Essa é a quarta resenha de julho do Desafio Literário Livreando 2020.
Da opção: autor russo.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

Resenha: Encontros e desencontros, Várias autoras

Boa noite, gente!
Vamos para uma resenha de um livro delicinha de ler!
Confira!

Encontros e desencontros é uma antologia de contos das autoras brasileiras Sheila Mendonça, Maribell Azevedo, Adriana Igrejas, Helena Andrade, Fabiana Cardoso, Eliane Quintella e Monique Lavra.

Já fazia muito tempo que eu estava com esse livro parado aqui, e me arrependi de não ter lido-o antes.

Uma antologia fofa, leve e rápida de ler.

Eu gosto muito de contos e esses me surpreenderam, porque embora o título sugira os tais "desencontros", eu pensei que seria mais clichê e com finais mais felizes. Mas, me enganei...

Cada conto traz a história de amigos diferentes, que se conhecem nas mais inusitadas situações e passam por tantos outros perrengues.

Temas como doenças, luto, romance, perdão, aceitação e traição são retratados com leveza e veracidade. O que não só me tocou muito, como também me fez refletir sobre como amizades verdadeiras passam por provações e a importância de saber perdoar e seguir em frente é fundamental.

Amigos nos fazem mais fortes, é um fato. Mas e quando eles nos traem ou mentem? E quando nos deixam? Por inúmeros motivos? Como prosseguir?

O conto que mais me marcou foi o de uma perda irreparável, pois é duro demais esquecer quem amamos. Todavia, é a vida.

Como os contos são curtos não dá pra eu falar muito sem revelar algum spoiler. São dramas e alegrias estilo sessão da tarde!

Uma antologia para passar a tarde relaxando e repensando.

Indicado!

Essa é a terceira resenha de julho do Desafio Literário Livreando 2020.
Da opção: de contos.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Resenha: Rabiscos com café, Sheila Mendonça

Oii, gente, tudo bem?
Bora para mais uma resenha de outro livro encalhado aqui, rsrs
Confira!

O livro Rabiscos com café da autora brasileira Sheila Mendonça é dos livros que mais gostei de ler esse ano, e sim, me arrependi de não ter lido-o antes!

Apesar de gostar bastante dos livros da Sheila, comprei ele no lançamento há dois anos, mas como só tinha mais outro de contos dela, fui guardando-os pra economizar! kkkkkk

Agora no começo desse mês comprei todas as outras antologias dela que faltava, e li Rabiscos numa sentada e amei!

O livro é feito de poesias, pensamentos, rabiscos sinceros, recheados de fé, amor, paz, sensibilidade e muito mais.

Uma conversa com uma amiga.

Um livro que muito me tocou.

Transborda positividade e emoção. Bem o que eu estava precisando no momento.

Achei a forma da Sheila expressar suas opiniões, sentimentos e vontades muito real e doce. Me encorajou, sem forçar ou criar aquele peso na consciência! Te admiro mais por isso, She! kkkkkk

Meu único arrependimento é de não ter feito um café pra me acompanhar nessa leitura! rs

Indicadíssimo!

E logo mais sairá resenha de uma antologia de contos que a Sheila faz parte!

Não deixem comentar!

* Leia também as demais resenhas dos livros da Sheila Mendonça já publicados aqui no blog:

Essa é a segunda resenha de julho do Desafio Literário Livreando 2020.
Da opção: mais antigo da estante.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.

terça-feira, 28 de julho de 2020

Resenha: O mundo de Sofia, Jostein Gaarder

Oii, gente, tudo bem?
Desculpem a demora em postar, mas esse mês foi bem cheio.
Estão lendo muito nessa quarentena? Espero que sim! E, se puder, FIQUEM EM CASA!

Agora vamos para a resenha de um livro que eu queria ler há 8 anos!!!!
Confira!

Em 2012, quando eu estava terminando o Ensino Médio, a bibliotecária da escola me indicou o livro O mundo de Sofia do autor norueguês Jostein Gaarder.

Procurei para comprar, mas estava bem caro, então, fui adiando a leitura.
No começo desse mês, numa ida ao médico, comprei ele no sebo, ainda caro! kkkk, e, finalmente, o li!

O livro conta a história de Sofia, uma menina norueguesa, de 14 anos, que ao chegar da escola num dia comum, recebe uma carta de aniversário para uma moça que ela nunca ouviu falar, junto com um convite a um curso de filosofia por cartas.

Ela guarda a carta e parte para essa aventura.

Através de cartas, o professor Alberto, lhe explica as teorias e trabalhos dos grandes filósofos mundiais, como Aristóteles, Platão, Sócrates, Kant, Freud e muitos, muitos outros.

Eu amei o livro, embora tenha achado a narrativa entediante em algumas partes e achado a Sofia muito bobinha. Onde já se viu se corresponder com um estranho. Pois, à princípio, ela só troca cartas e nada de cara a cara com o Alberto.

As explicações sobre cada filósofo são muito didáticas, mas ainda assim, achei complicadas e muitas coisas não entendi! kkkkk Não nasci pra filosofia kkkkkk

Chegando perto do final tem um plot twist que eu já tava desconfiada e amei ter acertado!

Gostei muito, embora algumas questões tenham ficado em aberto!

Indicadíssimo!
Essa é a primeira resenha de julho do Desafio Literário Livreando 2020.
Da opção: capa laranja.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!

Beijinhos,
Ana M.