quarta-feira, 17 de maio de 2017

#Resenha: The Last Sin Eater, Francine Rivers

Oiie gente, tudo bem?
Eu estou bem, tirando o cansaço enorme!
To até lendo mais devagar, rsrsrs
Hoje tem resenha de um livro que amo!
E é de uma das minhas autoras prefes! <3
Confira!


Em The Last Sin Eater, da autora americana Francine Rivers, nos brinda com uma história rica em detalhes e cultura, de tirar o fôlego.
Com uma linguagem bem estrutura e fluída, mesmo sendo narrada em 1ª pessoa por uma garota de 10 anos, Cadi Forbes, conseguimos nos contagiar e envolver com todos os acontecimentos vibrantes criados. Um livro incrível e que merece ser lido!

Cadi, é a filha do meio, e perdeu Elen, sua irmã caçula, de uma forma muito trágica e marcante, deixando-a com uma dor excruciante e uma culpa sem fim.

Sua mãe está depressiva e nem liga pra ela. Mal lhe direcionando o olhar, e quando o faz, é só para lhe dar ordens ou repreensões. Seu pai, no entanto, ainda cuida dela, embora não saiba como agir diante de tantas mágoas e dores que cercam suas vidas. E seu irmão mais velho, Iwan, tenta agrada-la e fazê-la se recuperar do trauma recém sofrido.

O fato de Elen ter morrido não é um spoiler, você fica sabendo logo no início da obra.

A vó de Cadi também morre no primeiro capítulo, trazendo o questionamento à Cadi: "Será que o Sin Eater também retiraria meus pecados?".

Cadi sofre continuamente, porém, sua depressão é diferente da sua mãe, pois ela reage, buscando um jeito de obter o perdão de seus familiares e de Deus. Buscando com afinco a cura e alívio para sua terrível dor. Enquanto a mãe prefere ficar mais calada e dentro si.

O Sin Eater (comedor de pecados) é um homem tido como "escolhido por Deus", a partir de um sorteio ocorrido muitos anos antes do nascimento de Cadi e de seus irmãos, na aldeia em que vivem nos Apalaches, tendo como fim, fazer um tipo de oração perante a pessoa falecida em seu velório, retirando dela seus pecados, e "pegando-os" para si.

Cadi, ao vê-lo no velório de sua vó, acredita que ele poderá então, retirar seus pecados e culpas, tornando-a livre para continuar sua vida.

Junto com o jovem Fagan, seu amigo, Cadi começa uma "eterna" perseguição ao Sin Eater.

Fagan é filho de Brogan Kai, um tirano, extremamente agressivo e desumano homem, que comete ao decorrer da trama atrocidades sem fim. Desprovido de compaixão e respeito, Brogan toca o terror na aldeia, e ainda se considera o dono de tudo, já que é um dos habitantes mais velhos. Sua descendência esconde segredos terríveis que trouxe muitas desgraças e desavenças para todos os moradores da região, e ainda por cima, foi ele quem fez o sorteio para escolher o Sin Eater.

O Sin Eater é um homem infeliz, carrega uma cruz pesadíssima, mas não reclama. Afinal, ele ama o seu povo, e se ele foi "escolhido por Deus" para salva-los, aceita seu encargo, mesmo lhe custando tanto.

Tanto Brogan como o Sin Eater tem uma importância primordial para o desenrolar dos fatos, e vão nos chocar. MUITO.

Cadi sofre demais e deu muita pena vê-la se culpando por tudo. A morte da irmã foi lamentável e assustadora, causando-lhe a impressão de ser sua culpa. E essa culpa lhes faz desbravar seu pequeno mundo.

Com a chegada do "Man of God", um pregador, os moradores da aldeia ficam em polvorosa, e claro, dispostos a arranca-lo à força de sua terra. Só Cadi e Fagan aproximam-se dele e descobrem a verdade universal.

Vou parar por aqui para não dar spoilers. Contei tudo isso porque o livro é muitíssimo bem escrito, porém, os personagens precisam ser avaliados individualmente, para compreendermos toda a esperteza que a autora teve em cria-los! rs

Brogan é o mestre das marionetes, estas, o povo, e com a verdade universal que Cadi e Fagan descobrem por meio do pregador, esses jovens têm suas visões abertas para o que e quem é realmente o Comedor de nossos Pecados.

Um livro emocionante, que fala sobre a busca pelo amor, perdão, libertação, redenção e fé. Além de abordar assuntos tabus, gerando reflexão como, estupro e demais violências contra as mulheres, depressão, erros e crimes escondidos através da violência e assassinatos de inocentes devido a preconceitos e ambições.

Escrito tão habilmente que a autora até o sotaque dos personagens colocou, não afetando a leitura, e sim, nos transportando com mais facilidade e emoção.

A busca da libertação da Cadi é uma busca que todo ser humano um dia faz, e que lhe muda por completo, como foi o caso retratado no livro.

Aiiiii eu queria tanto poder contar mais pra vocês!! kkkkkk
Enfim, leiam!
Vocês irão amar!

Ah, antes de ler, eu assisti ao filme, que também está beeeeem adaptado e parecido com o livro, mudaram por incrível que parece, pouquíssimas coisas. Porém, foi lançado aqui no Brasil como "O Último Espírito".

Assistam também!!!
Trailer de O Último Espírito:




Essa é a segunda resenha de Maio do Desafio Literário Livreando 2017.
Da opção: um livro que virou filme.
Saiba mais sobre o Desafio do querido blog Livreando, CLICANDO AQUI!


* Leia também as resenhas dos livros de Francine Rivers:

Beijo enorme,
Ana M.

Um comentário:

  1. Olá Ana! Dessa autora só conheço Amor de Redenção. Fiquei curioso com essa resenha. Tentarei ver o filme, também, parece interessante.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião sobre o post!
Sem comentários ofensivos.
Assim que puder, retribuirei a visita!

Beijos,
Ana M.